Conhecendo o acervo do IPHAN

No post de hoje vamos falar sobre um local não muito conhecido pela população local que é o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). O IPHAN foi criado em 13 de janeiro de 1937, por meio da Lei nº 378, assinada pelo então presidente Getúlio Vargas, ele é uma autarquia federal vinculada ao Ministério do Turismo que tem como função proteger e promover os bens culturais do País (Patrimônio Cultural Brasileiro), assegurando sua permanência e usufruto para as gerações presentes e futuras.

Acervo no IPHAN. Foto: Virna da Hora.

O Instituto também responde pela conservação, salvaguarda e monitoramento dos bens culturais brasileiros inscritos na Lista do Patrimônio Mundial e na Lista o Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, conforme convenções da Unesco, respectivamente, a Convenção do Patrimônio Mundial de 1972 e a Convenção do Patrimônio Cultural Imaterial de 2003.

O IPHAN possui várias superintendências e escritórios técnicos espalhados pelo país, a maioria está localizado em cidades que são conjuntos urbanos tombados (Cidades Históricas). Em Maceió o IPHAN está localizado no bairro histórico do Jaraguá e funciona também como museu e área de exposições. Ao entrar no edifício já vemos um vão que funciona como espaço para exposições temporárias e no andar de cima podemos encontrar uma grande exposição com peças de arte popular e artesanato dos artistas alagoanos. 

Entrada do edifício mostrando a área de exposições temporárias e escada para o andar da exposição ”fixa”. Foto: Virna da Hora.

Esta exposição que se chama ‘’A invenção da Terra’’ faz parte do acervo pessoal da artista plástica e colecionadora Tânia de Maya Pedrosa e está no IPHAN por tempo indeterminado. Vale muito a pena a visita pois há obras de muitos dos principais artesãos de Alagoas, inclusive alguns já falecidos. 

Foto panoramica do acervo da colecionadora Tânia de Maya Pedrosa. Foto: Virna da Hora.

A entrada é gratuita e a estrutura do edifício é bem planejada para mostrar as peças e para os que não conhecem muito de arte popular e artesanato há monitores Touch Screen interativos que falam sobre as peças. Algumas pessoas reclamam que quando visitam o Instituto os encontram desligados, eu não tive esse problema mas acredito que seja possível pedir para ligar com algum dos funcionários que fica no escritório dentro do Instituto. Nesse caso você terá que se dirigir aos seguranças do local para ligar, pois são eles que ficam na área de exposições. 

Peça do Mestre Raimundo de Lagoa da canoa. Foto: Virna da Hora.
Cadeira do famoso Mestre artesão Fernando da Ilha do ferro. Foto: Virna da Hora.
Obras de diferentes artistas. Foto: Virna da Hora.
Cadeira do famoso Mestre artesão Fernando da Ilha do ferro. Foto: Virna da Hora.
Peças da Ilha do ferro. Foto: Virna da Hora.
Monitor interativo com informações das obras. Foto: Virna da Hora.

            Além desse espaço de exibições, nos últimos anos vários projetos de recuperação e restauração do patrimônio cultural foram realizados nas cidades de Marechal Deodoro, Penedo, Piranhas e Maceió. É uma iniciativa super importante pois ajuda a valorizar e manter a história e cultura locais, o que reflete também no crescimento econômico pois alavanca muito o turismo!

Dicas:

  • Bom para todas as idades
  • Acessível para deficientes ou pessoas com problemas de locomoção 
  • Fácil acesso

Informações:
Endereço: Rua de Sá e Albuquerque, 157 – Jaraguá, Maceió – AL, 57022-180
Contatos: (82) 3221-6073, Email: iphan-al@iphan.gov.br
Site: http://portal.iphan.gov.br/al
Horários e funcionamento: De segunda a sexta de 8h as 17h e sábado e domingo de 10h as 17h
Entrada: Gratuita


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *